HQ’s Entrevista | João Luiz Vital

0 Flares 0 Flares ×

Star Wars, Star Trek e Game of Thrones são algumas de suas preferências, com 12 anos teve a ideia de criar seu primeiro super-herói, em 2007 lançou a primeira HQ do Homem Trator que logo de cara contou com mais de 30 mil downloads, hoje é dia de falar com João Luiz Vital, um nerd apaixonado pelo que faz…

Gostaria de começar agradecendo ao João pelo tempo que ele cedeu para que essa entrevista fosse realizada.

1 – João, apresente-se para o público. 

Para resumir bem, sou um nerd/geek de quando ainda não era moda e nem descolado ser um. Apaixonado por quadrinhos, filmes, séries e música. Fã de Star Wars, Star Trek, Tolkien, Game of Thrones e muitas outras coisas. Trabalho profissionalmente com quadrinhos desde os 15 anos, Tanto no mercado nacional, quanto no internacional, para editoras norte-americanas. Principalmente como desenhista e arte-finalista. Além desta área de desenho e quadrinhos também tenho o lado da Arquitetura e o da escultura.

2 – Quando que surgiu essa paixão pelas HQ’s? E qual era o seu personagem preferido? 

Eu já era uma criança que amava desenhos animados, como o do Homem Aranha, X-Men, Batman, Dragon Ball e séries como Power Rangers, e desenhava esses personagens o tempo todo. Então aos seis anos, passando por uma banca de revistas, peço para meus pais comprarem quadrinhos pra mim, e escolhi uma revista do Homem Aranha e outra do Batman, foram as primeiras HQs que li, e daí por diante comecei a desenhar ainda mais e fazer minhas próprias histórias.
Sem dúvidas o meu favorito era o Homem Aranha, tenho várias edições em minha coleção.

3 – Uma das motivações da entrevista foi seu personagem Homem Trator, quando surgiu a ideia de criar esse personagem? Nos conte um pouco sobre ele.

Primeira HQ do Homem Trator.

Quando ainda bem jovem, com apenas 12 anos, passando em frente a uma grande construção, observei grandes tratores demolindo enormes paredes como se fossem apenas papel, com muita facilidade, foi quando pensei, vou criar um personagem com uma incrível força, forte como um trator, consequentemente
veio a ideia do nome. O seu enredo remete a coisas que sempre gostei muito, como mitologia, história, ficção científica e claro, super-heróis.

(História de Origem do Herói)

Breno Reis Jr.  É um jovem empresário paraibano, que certo dia visita com sua namorada uma exposição mundial sobre o Egito antigo, que estava passando por João Pessoa. Lá eles acabam ficando horas e o museu fecha sem que percebam, eles pareciam estar sendo hipnotizados e atraídos pelas estátuas dos antigos deuses egípcios Osíris e Ísis, Que faz Breno e Sofia quererem vestir os colares (que se tratavam dos colares mágicos desses deuses, perdidos há muito tempo). Daí por diante Breno e Sofia ganham super poderes. Breno como desde sempre era um aficionado por super heróis, e por querer acabar com a alta criminalidade da cidade resolve se tornar um super-herói. Seu capacete é o Ankhmeth (seu design foi inspirado nos capacetes medievais e espartanos), criado pelo deus Rá, é uma companhia dos portadores dos colares. Feito para o futuro rei do Planeta Ankh (lar desses deuses). Osíris e Isis foram os reis que sucederam Rá, e portanto os portadores originais.

A primeira revista foi lançada em 2007, passada de mão a mão para alguns colegas e amigos na versão impressa. E na versão digital publicada em meu blog pessoal, sendo um sucesso, com mais de 30 mil downloads. Em 2009, dois amigos, Alex Sandro e Nenem “mofado” tiveram a ideia de fazer um curta metragem live-action baseado nos meus personagens e juntos produzimos uma divertida brincadeira com amigos e familiares. O filme encontra-se disponível no Youtube.

4 – A Shirley é de sua criação também? Fale um pouco sobre ela. 

Sim. Foi criada logo após o Homem Trator, e aparece junto a ele já na primeira revista do mesmo. A jovem advogada Sofia, conheceu e começou a namorar Breno, ainda na adolescência, na época de escola. Seja na vida de advogada ou de super-heroína enfrenta sem nem um medo: criminosos, monstros, alienígenas e até deuses. Além de ser uma poderosa feiticeira, possui super força e habilidade de voar.

Shirley.

5 – Fora esses heróis, você trabalha com mais algum herói ou outro tipo de produção de quadrinhos? 

Sim, criei mais alguns personagens ao longo desse tempo, Red Fish, Raozus, Dragão Verde, são alguns deles. Que são abordados em temáticas diferentes, Red Fish por exemplo, é uma ficção cientifica. No próximo mês de outubro, sairá uma revista infantil: Clube do Spark. Que reúne vários personagens meus em uma aventura com um grupo de crianças que sonham em se tornar super heróis. Na produção comigo estão os talentosos Charles Arthemio e Leonardo Pessoa.  E para o próximo ano, em comemoração aos 10 anos da primeira revista do Homem Trator, temos grandes surpresas.

6 – Quais as dificuldades que você encontra no meio das produções independentes? 

A falta de incentivo, não só na área dos quadrinhos, como nas artes em geral, é gritante. Na maioria das escolas não se vê projetos voltados para alunos com aptidões artísticas e, infelizmente, acabam não aproveitando seus talentos. Sempre que posso procuro ajudar e incentivar quem eu vejo que pode vir a ser artista. Algumas grandes empresas costumam apenas patrocinar artistas já famosos, tornando a vida de quem tá começando ainda mais difícil. Outra dificuldade que eu diria, são preconceitos, ocorridos fora e até mesmo dentro da nossa área, pelo fato de trabalharmos com super-heróis. Já ouvi comentários como: “Vocês não estão fazendo coisas da nossa cultura, isso é coisa dos americanos”. Pois eu digo, super-herói é coisa de nossa cultura sim! Dr. Alpha, o primeiro herói espacial das histórias em quadrinhos do mundo é brasileiro. Antecede o Flash Gordon quase 20 anos e o Superman em mais de 30 anos. Já na década de 50 tivemos o capitão 7 que teve uma série live-action, com vários episódios a mais que a série do Batman estrelada por Adam West da década de 60. E há vários outros importantes personagens nacionais, o “Protocolo A Ordem” é um bom exemplo disso. Espero que o mercado independente e nossos super-heróis brasileiros cheguem cada vez mais ao público e a variadas mídias.

Homem Trator.

7 – Falando do cenário nacional, qual artista você costuma ler? 

Gosto bastante dos trabalhos do conterrâneo paraibano Shiko. Também venho sempre acompanhando as Graphics Novels da Mauricio de Sousa produções, que tem ótimos artistas. Admiro o trabalho do Elenildo Lopes, criador do Velox e do Capitão R.E.D, sempre abordando assuntos importantes e divulgando locais nacionais. Gabriel Jardim com seu ótimo trabalho em “café” e “de dentro da couraça”. E Aurélio Filho com a sua produção em “nanquim arretado”.

8  – Bom, vamos encerrar por aqui, mas antes, onde nosso leitor poderá comprar suas HQ’s? E como ele poderá entrar em contato com você? 

Através do meu blog, da Fanpage do Homem Trator, ou então através das redes sociais e Email.
Blog: joaoluizvital.blogspot.com
Instagran/Snapchat: desenhistavital
Email: joaoldvital@gmail.com

João, agradecemos imensamente o tempo que você cedeu para essa entrevista, se você deseja deixar algum recado ou falar mais alguma coisa, esse é seu espaço.

Obrigado a toda equipe do  HQs com Café, e parabéns pelo trabalho de divulgarem nossos heróis e o mercado independente.

Leia outras Entrevistas.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×