HQ’s Entrevista | Luiz Laffey, dublador do Shion de Áries, Androide 16…

0 Flares 0 Flares ×

Toda vez, antes de começarmos uma entrevista, eu apresento o entrevistado, mas Luiz Laffey dispensa apresentações. Tenho certeza que você já ouviu sua voz por ai, porém, se você acha que não, acompanhe esse brilhante bate-papo…

1 – Vamos começar com uma pergunta que ecoa no cérebro de todo fã de The Walking Dead. Na primeira temporada você dublou o Shane (Jon Bernthal), e ficou uma dúvida. A Judith é filha do Rick ou do Shane???? 

Conhece aquela música “Billie Jean is not my lover, she’s just a girl who claims that I am the one, but the kid is not my son! She says I am the one, but the kid is not my son” (risos).

2 – Agora vamos falar sério. Você tem mais de 20 anos de carreira. Consegue se lembrar qual foi seu primeiro trabalho no meio da dublagem?

Não lembro o que foi que dublei, mas lembro de quem me dirigiu: Patricia Scalvi, me ensinou muito logo no primeiro dia. Lembro do que ela me disse: ” Olha, Luiz, eu não estou aqui pra ensinar ninguém a dublar, mas vejo em você um grande potencial, por isso, se você me permitir, quero te dar umas dicas…”

Adivinha se eu quis? Mas é claro! E foi sensacional… devo muito à ela.

3 – Vários atores icônicos você dublou: Forest Whitaker, John Travolta, Jim Carrey, Cuba Gooding Jr… existe algum que você sente um carinho maior?

Pra ser sincero, adoro dublar todos eles! Cada um trás uma bagagem sensacional! São estilos diferentes e atores que gostam de se arriscar… e eu adoro isso!

4 – Dragon Ball Z (Androide 16), Hanna Montana (Billy Ray Cyrus), Cavaleiros do Zodíaco (Shion de Áries), 3 Espiãs Demais (Jerry)… você fez a alegria de milhares de jovens, creio que você seja reconhecido na rua por algum desses personagens, como é feita essa abordagem? Já aconteceu alguma situação engraçada?

Já aconteceram várias! Certa vez eu fui a uma loja de ternos acompanhado de 2 dos meus filhos para comprar terno pra eles. Eu fiquei quieto quase o tempo todo deixando eles escolherem. Quando foi a hora de pagar eu abri a boca pra perguntar sobre forma de pagamento, o caixa sofreu um chilique e disse “Não acredito!!! É o Luiz Laffey!!! Eu sabia, eu sabia! Fulaaaana! Eu falei pra você que era ele, viu???”

A loja meio que parou pra conversar e pedir autógrafos.

5 – Você dublou o Salaminho, da dupla Mortadelo e Salaminho. Você chegou dar uma lida em algum quadrinho de Francisco Ibáñes?

É um quadrinho famoso, da minha infância. Eu li sim, mas quando era garoto…

6 – Existem pesquisas que comprovam que o brasileiro prefere consumir produto dublado, só que existe uma grande rixa entre o fã do dublado e o fã do legendado. Como você enxerga essa rixa? E você assiste conteúdo dublado ou legendado?

Eu acho que é uma questão de gosto pessoal e um pouco de arrogância também. Sabe, aquela coisa de “eu sei Inglês, por isso sou melhor que você”…  Eu sempre digo que quem diz que assiste legendado porque “não quer perder a interpretação original” e blá blá blá… tá falando baboseira porque perde a maior parte do filme lendo legenda (E não adianta falar que não… (risos))

Se fala que quer assistir legendado porque tá treinando o inglês… ok, vai. Mas a legenda suprime muito mais texto do que a própria dublagem para poder dar tempo de se ler.

Eu, particularmente, não me incomodo com quem quer ver desse ou daquele jeito. Tem espaço para todos. Eu assisto ou dublado ou no original SEM LEGENDAS (Cabra Macho! (risos)), mas faço isso por uma questão pessoal: Eu entendo o Inglês, a legenda me incomoda e fica chamando minha atenção.

7 – Quais são seus projetos futuros?

No momento estou passando uma temporada de estudos aqui os Estados Unidos. Ainda gravo pra alguns clientes daqui no meu HomeStudio.

8 – Essa mudança se deu apenas por trabalho, ou foi mais por causa da insegurança que nosso país apresenta?

Nem um, nem outra. Vim para estudar e me aperfeiçoar no idioma.

9 – O que o Laffey, com toda experiência que adquiriu ao longo dos anos diria para o Laffey do começo de carreira?

“Por quê você demorou tanto para perceber que é isso que você ama fazer?”

10 – Jogo Rápido.

Trabalho que mais gostou?

Mãos Talentosas com Cuba Gooding Jr.

Trabalho mais difícil?

Camelot, dublando Joseph Fiennes

Ator que mais gosta de dublar?

Vish… difícil essa… Forest Whitaker.

11 – Para finalizar. Quem é José Luiz?

É um menino num corpo adulto. Um garoto sonhador, amante da justiça, divertido, alegre, ingênuo e que só quer a felicidade… pra ele e pra todos.

Laffey. O HQ’s com Café agradece o tempo concedido. Desejamos sucesso nessa sua caminhada. Agora o espaço é todo seu, pode deixar seus contatos e falar o que quiser.

Eu é que agradeço a oportunidade e PACIÊNCIA em esperar tanto tempo pela minha entrevista. Mas sabe como é, né? Mudança é sempre atarefada!

Continuem com o bom trabalho!

Abraços!

Luiz Laffey.

Contatos: Fan Page |  Instagram | Twitter | Email: luizlaffey@hotmail.com | www.locutores.com.br/luizlaffey

Não deixe de conferir.

HQ’s Entrevista | Dilma Machado

HQ’s Entrevista | Fábio Lucindo, a voz do Ash

HQ’s Entrevista | Cassius Romero, o dublador do Negan

HQ’s Entrevista, Marta Volpiani, a voz da Dona Florinda

HQ’s Entrevista | Angélica Santos

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Henry Braga

Assisto preferencialmente o que não está na moda, gosto de livros, quadrinhos, séries e filmes. Também sei admirar DC e Marvel (sim, é possível), ainda tenho meu Super Nintendo. Seinfeld, Anos Incríveis e Watchmen são algumas de minhas preferências.