Feitiço do Tempo mostra a magia de saber aproveitar o seu tempo

0 Flares 0 Flares ×

Imagine que você tenha que ir para um lugar que não goste, fazer algo que não deseja, e que após o término desse dia ele volte a se repetir, repetir, repetir, repetir… com todas as ações praticadas por terceiros idênticas, desde o cair de uma folha até a morte de uma pessoa.

Imaginou?

É nesse cenário nonsense que Phill, interpretado por Bill Murray, se encontra. Ele vai cobrir o tão famoso “dia da marmota”, isso acontece todo dia 2 de fevereiro, em Punxsutawney, uma cidade do interior norte-americano. Só que ele odeia esse local, justamente por ser pequeno e por achar o tal dia da marmota uma idiotice.
Após o término desse interminável dia ele inexplicavelmente acorda no mesmo dia, no mesmo local e no mesmo horário.

(Fevereiro, dia 2, 6:00 horas da manhã ao som de “I Got You, Babe”, o filme não se dá o trabalho de explicar o porque de Phill estar preso no tempo) 

Agora entra o grande ponto da obra. O que fazer quando você é imortal?

Phill era cabeça dura e não se ligou no que estava acontecendo, nos primeiros dias ele tentou se suicidar, começou fumar, usou seu tempo para conseguir transar com algumas mulheres.

Só que a questão não é o que Phill fez, mas o que você faria?

Se você não souber o que fazer, vai desejar morrer, assim como ele desejou. Vai se suicidar, assim como ele se suicidou, mas lembre-se, não existe suicídio na eternidade.

Vamos lá:  se todos os dias são iguais, o que fariam eles diferentes?

A resposta é óbvia, dependendo da atitude de Phill, o cenário reagia de forma diferente, então o grande segredo estavam em suas atitudes. Uma frase fora de contexto colocava tudo a perder, um gesto de simplicidade cativava uma pessoa.

Mas “apenas” ser uma opção útil não é o bastante, com a “eternidade dada para você”, o que mais seria necessário?

Aprender. Depois de um tempo ele entende isso e passa a estudar várias coisas. Que tal aprender dançar? Trocar um pneu? Ou tocar piano? Já sei, vou aprender fazer escultura no gelo… que tal medicina?

O personagem egocêntrico, vaidoso, dissimulado e irônico sai de cena. Entra um humilde que descobre que mesmo com a eternidade não dá para saber tudo.

É, meu amigo, não dá para saber tudo, mesmo com a eternidade, não dá para aprender tudo. Então porque você não desce desse seu “pedestal da inteligencia” e assume que o que você sabe é gota no oceano?

O filme é engraçado, envolvente e nos mostra como aproveitar o seu tempo da melhor forma possível. Você pode transformá-lo em apenas mais um dia, chato e pouco produtivo, ou você pode fazer com que seja o melhor dia da sua vida e das vidas de quem o cerca.

Não deixe de conferir.

Invasão Zumbi não é sobre zumbis

For the Birds, um curta que ensina que ser diferente é normal

Inside Llewyn Davis é a pura vida real em um filme

Locke ensina o poder do foco

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×