Personagens Brasileiros | Catalogador de Universos

0 Flares 0 Flares ×

Todo mundo gosta de um bom Crossover. E você sabe qual é o herói mais apto para adentrar ao universo de outros personagens?

Ele é brasileiro. Ele é criação de Lancelott Martins. Ele é o Catalogador de Universos.

Tudo começou no ano de 2010. Lancelott precisava expandir seu meio de pesquisa (para quem não sabe, o autor é criador do extraordinário Catálogo de Heróis Brasileiros). Pois bem, o personagem apareceu em algumas redes sociais para servir como elo de ligação entre os personagens de outros autores independentes.

Não entendeu?

Então fique a explicação do próprio Lancelott:

Catalogador poderia facilitar esta inter-relação com os outros personagens, possibilitando encontros que não alterasse o que cada autor teria planejado para seu herói dado a sua condição cósmica de imiscuir-se nestes “universos” sem ferir estas continuidades. Por exemplo, poderia possibilitar “encontros” entre personagens do futuro e do passado, de cidades fictícias e cidades reais sem alterar o satuts quo de cada um.

Catalogador | Arte: Rom Freire.

Bem, agora que você já entendeu do que o herói é capaz, descubra quem é o herói.

O Catalogador vem da lendária Ordem de Avatares conhecidos por “Antigos“. Tem um poder cósmico gigantesco, é muito solitário, por isso ele busca em outros universos seres especiais.

Tudo começou quando o Catalogador utilizou seu poder cósmico de maneira descontrolada. Com o tamanho de sua força ele acabou destruindo uma galáxia inteira. Alguns “Antigos”, que também são andarilhos cósmicos (Pena, Logo, Fábrica, Zênith e Lança) se reuniram em um I CONCLAVE CÓSMICO para julgar o Catalogador de seu ato.

Leia nossa entrevista com o Lancelott Matins.

O personagem foi punido, ele teve sua essência vital dividida em cinco partes, elas ainda foram distribuídas por lugares longínquos e que ninguém sabia. Sua punição perdurou por centenas de bilhões de eras. Mas um dia foi preciso sua junção. Ele era necessários para manter o status do Equilíbrio.

O Catalogador foi reintegrado, mas agora ele não detinha todo aquele poder. Sua pena foi a de ter seu poder limitado, agora ele já não poderia mais matar ninguém em batalha, também não poderia interferir nas contendas cósmicas.

O Catalogador agora é integrante do “Tomo do Infinito” e, também, faz uso de outros seres poderosos para manter o equilíbrio cósmico entre a ordem e o caos.

Poderes.

Consegue manipular o tecido cósmico do tempo, barreiras dimensionais e energia ao seu redor proveniente da “dark mater”. Com isso ele canaliza essa força em rajadas e escudos.

Consegue catalogar vários dados. Modifica seu tamanho corporal, fica tangível e intangível. Ele ainda pode duplicar sua imagem em vários universos e conversar consigo.

Tem como auxiliares hologramas prismáticos. Que servem como portais para armazenar dados, como transporte de avatares, transporte dele mesmo, em portas para outros universos. O principal deles é Berillo. Ele é constituído de massa de uma estrela anã e auto consciente, é o único que coordena todo o saber do Tomo do Infinito.

Tem olhos vazados, todo preto, não tem íris (porém, “adquiri” quando transita entre os seres mortais)

Seu primeiro material impresso saiu em 2012 zine Fábrica de Monstros.

Croosvers.

Em 2013 o personagem participou de uma HQ com o Garra Cinzenta (selos HQ Quadrinhos + ROX Quadrinhos)

Participou de um crossover entre personagens brasileiros e americanos (Cosmos).

Ainda figurou as páginas com o Escorpião de Prata (Eloyr Pacheco), Xamã (Eberton Ferreira), Capitão Brasil, Ciclone, Projeto A Ordem (Elenildo Lopes) Guerras Cósmicas (Marcos Gratão e Lancelott), nos zines de Jimmy Darwins e Douglas Camilo, na revista de Carlos Nunes e em diversos outros lugares.

Leia sobre outros personagens brasileiros.

Acesse a Fan Page do Catalogador.

Foto de capa desenhada por Rodrigo Xavier.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×