HQ’s Entrevista | Pedro Lucas (Ilustrador e Quadrinista)

0 Flares 0 Flares ×

Certamente você já ouviu a expressão “menino prodígio”. Pois bem, Pedro Lucas é um desses casos. Com apenas 16 anos ele já ilustra histórias em quadrinhos profissionalmente, além de roteirizar e já ter seus próprios personagens criados. Bom, acompanhe a entrevista e aprecie as artes desse menino prodígio…

1 – Pedro, apresente-se.

Bom, sou um ilustrador, quadrinista, desenhista e membro da equipe Brasil Comics junto aos meu grandes amigos e parceiros Lincoln Nery, Rod Tigre, Luís Carlos Nunes e Johnny Fonseca. Tenho 16 anos, sou carioca e apaixonado por arte desde de que me conheço por gente. Também um grande fã dos Quadros ao Vivo (quadrinhos) nacionais!

2 – É impressionante seu dom artístico. Faz quanto tempo que você desenha? Está fazendo algum curso?

Desenho mais ou menos desde os 4 anos. Lembro que na época eu assistia muitos filmes e tinha um em específico que eu gostava bastante: trilogia El Mariachi. Eu ficava desenhando aquele agente da CIA que era interpretado pelo Johnny Depp, gostava bastante do visual dele (risos). Na escola eu também fui muito influenciado às artes, principalmente no jardim. Mas, conforme o tempo foi passando eu fui adquirindo outros gostos e rabiscando novos traços: mangá, cartoon, comics, enfim, variava o tempo todo. Atualmente eu não faço nenhum curso, mas já cursei desenho artístico no Oberg em 2010, onde inclusive ganhei um prêmio em uma exposição de desenhos, e mais tarde em 2013 fiz um curso de computação gráfica na Seven CG (atual RedZero), porém nunca cheguei a concluir nenhum dos dois.

3 – Qual seu maior sonho como desenhista?

Terminar TODAS as fases do Jou Ventania.

Jou Ventania e Blenq

4 – Sabemos que seu primeiro trabalho profissional com quadrinhos foi para HQ do Jou Ventania. Como foi o convite? O que você tirou de aprendizagem?

Eu acabara de voltar pro Rio, pois tinha passado dois anos da minha vida em Recreio, interior de Minas Gerais, quando recebi um convite do Lincoln para participar do prêmio ABRAHQ em Janeiro de 2016. Nesse prêmio eu conheci pessoalmente o incrível Lincoln Nery que depois me fez o convite para desenhar Jou Ventania N° 5. Eu estava empolgadíssimo, pois era fã tanto do personagem quanto do autor, então aceitei na hora. Depois disso ficamos cada vez mais amigos e o Lincoln me apresentou um novo universo, ele foi o cara que abriu as portas pra mim. Conheci pessoas, fiz amizades incríveis e também realizei trabalhos que me renderam uma boa grana e status nesse meio independente. Aprendi que fazer quadros ao vivo não é coisa de criança. Se você trabalhar duro, mesmo que demore, a recompensa sempre vem no final!

5 – Você pensa em roteirizar alguma história? E criar personagens?

Sim, na verdade até tenho algumas criações e roteiros. Fiz um roteiro do Jou Ventania quando morava em Minas que cheguei até a ilustrar, mas resolvi remodelá-lo e posteriormente ele vai ser lançado. Tenho um grupo de jovens heróis que criei durante toda a minha infância e adolescência chamado nova geração, um mangá que já escrevi, um livro com poucas páginas que pretendo transformar em uma HQ, enfim, tenho muitos projetos pra tirar da gaveta. Por hora prefiro dar continuidade às obras existentes e empreendê-las cada vez mais. Entretanto, posso confirmar uma coisa, a NOVA GERAÇÃO já está programada para ser lançada em 2018 ou até antes, se Deus quiser.

Segue com exclusividade para o HQ’s com Café a logo e a sinopse da “Nova Geração”.

SINOPSE: Quatro distintos super heróis adolescentes do Rio de Janeiro se unem para enfrentar uma ameaça em comum, os Lordes do Poder, uma coligação entre vilões e políticos com a intenção de implementar leis governamentais que facilitem a implantação de um regime ditatorial global, através de uma Nova Ordem Mundial. Ao decorrer dos eventos outros jovens heróis aparecem e se juntam à equipe, até que eles decidem articular um plano para destruir os objetivos desses vilões, mas nem tudo sai como o planejado…

6 – Qual sua visão sobre o atual cenário nacional de quadrinhos?

Olha, na verdade eu não sou tão expert no assunto, até porque sou novo nisso, mas pelo que eu estou vendo e pela minha pouca experiência, são diversos fatores que colaboram para o NÃO crescimento desse nicho. Falta de responsabilidade, gente que só fala e nada faz, brigas ideológicas, o ego, isso são só alguns dos pontos a serem observados. Mas existem pessoas realmente boas e que fazem a parada toda girar. Uma coisa eu tenho certeza, existe público consumidor SIM! O mais difícil é você conseguir fazer com que as pessoas entendam o conceito do seu trabalho. Ainda existe um certo preconceito. Mas de qualquer modo, as coisas melhoraram bastante hoje em dia e as pessoas estão começando a entender.

7 – Se inspira em alguém para desenhar?

Me inspiro em muitos artistas: Ivan Reis, Joe Bennett, Luís Carlos Nunes (Supraion), Alex Genaro, Hélio Guedes, Renato Rei, o próprio Lincoln Nery, Masashi Kishimoto do Naruto, Chris Samnee, Paulo Chacon, Norm Breyfogle, etc. Eu gosto muito de experimentar e observar os diferentes tipos de traço, isso me dá mais inspiração e me tira da velha padronização comercial dos americanos. O que importa é você fazer e experimentar.

8 – Você está fazendo algumas artes para o projeto “ALFA – A Primeira Ordem”, como é a sensação de estar envolvido em um projeto tão grande sendo tão jovem?

É um sonho pra mim que está sendo realizado. No começo da campanha em 2014 eu estava obcecado com a ideia da “Alfa”, que na época ainda se chamava “A Ordem” e depois passou a se chamar “Protocolo – A Ordem“, e eu nunca imaginava que fosse acontecer tão rápido esse meu sonho de poder estar participando desse projeto tão incrível. Espero que um dia eu possa fazer algo a mais do que só algumas artes (risos). Mas isso vai depender de diversos fatores. De qualquer forma eu me sinto honrado e acredito que a idade é somente um fator a ser considerado. Como eu disse na pergunta anterior: o que importa é você fazer e experimentar.

Arte: Pedro Lucas | Cores: Gabriel Rocha

9 – Jogo rápido. Um herói nacional? Um herói internacional? Uma HQ nacional? Uma HQ internacional?

Herói nacional = Jou Ventania
Herói internacional = Kick-Ass
HQ nacional = Um mundo preto e branco
HQ internacional = Kingsman: Serviço Secreto (foi a última que li das internacionais e gostei bastante, teve até um filme em 2015)

10 – Pedro, deixe seus contatos para galera.

Galera, quem quiser me contactar pode enviar um email para o meu contato profissional: plartecomics@gmail.com. Vocês também podem me achar no Facebook.

O HQ’s com Café agradece pelo tempo disponibilizado, se quiser falar mais alguma coisa, o espaço é seu.

Eu é que agradeço, obrigado por esta oportunidade! Eu acompanho seu trabalho com o HQ’s com Café e acho incrível, até porque eu ainda sou só um moleque nerd que gosta de nerdices (risos).
Quero deixar um ENORME agradecimento ao Lincoln Nery, por ter sido meu mentor e melhor amigo nessa jornada. Quero agradecer a Deus, primeiramente, por ter me abençoado e guiado meus passos para que eu conseguisse estar realizando meus sonhos e objetivos. Agradeço também a todos os meus amigos e parceiros de trabalho, à minha família e é claro à minha MÃEZONA (risos), Maria Lúcia, que tem me ajudado muito e me apoiado à cada dia a continuar dando o meu melhor SEMPRE nas coisas que eu faço. E aproveito pra convidar a galera a curtir e acompanhar o trabalho da Brasil Comics lá pelo Facebook e ficarem de olho, pois muita coisa boa está a caminho!! Uma delas é o OPRESSOR.

Leias outras Entrevistas.

Saiba mais sobre “ALFA – A Primeira Ordem“.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Henry Braga

Assisto preferencialmente o que não está na moda, gosto de livros, quadrinhos, séries e filmes. Também sei admirar DC e Marvel (sim, é possível), ainda tenho meu Super Nintendo. Seinfeld, Anos Incríveis e Watchmen são algumas de minhas preferências.