Opinião com Café | Zumbilândia

0 Flares 0 Flares ×

Nossa vida é cercada por regras. Não ultrapasse em faixa dupla, respeite os mais velhos, pague imposto, não coma gorduras, faça exercícios… são essas regras que nos mantém vivos, e que nos fazem viver em mais harmonia em nossa sociedade.

Bom, na teoria isso deveria acontecer. Agora imagine viver em um mundo que não existe regras, qual seria a melhor coisa a fazer?

Criar algumas regras.

É isso que Columbus, interpretado por Jesse Eisenberg faz. Ele é um nerd de carteirinha, gosta de vídeo-games, tem medo de palhaços e ainda é virgem. Esse rapaz, por incrível que pareça, está vivo em um mundo cheio de zumbis, tudo graças as suas regras.

Columbus está tentando voltar para sua terra natal, e no meio de sua viagem encontra Tallahasse, vivido por Woody Harrelson, Tallahasse é um típico machão, seu objetivo nesse mundo é matar o maior número de zumbis. Ah, ele também quer achar seu precioso Twinkie.

Alguns eventos ocorrem e os dois se unem nesse mundo louco. Dentro de algum tempo, ao pararem em um mercado, eles dão de cara com duas irmãs, Wichita (Emma Stone) e Little Rock (Abigail Breslin).

Só que eles não imaginavam que as duas eram mais preparadas do que eles para viver nos Estados Unidos da Zumbilândia.

Em alguns locais (como por exemplo: IMDB) o longa é classificado como comédia, aventura e terror. Eu retiraria o terror e colocaria romance. Sim, existem vários momentos que aparecem zumbis muito bem caracterizados, mas o possível terror que aconteceria, logo é substituído por algum momento cômico.

Aliás, os momentos de humor são híbridos. Alguns são sádicos, outros são sutis, e não podemos esquecer dos momentos que entregam o famoso humor pastelão. Existe aquela pitadinha de romance envolvendo Eisenberg. Que encarna muito bem o personagem. Ele é ágil, engraçado e atrapalhado. Quando Harrelson entra na jogada, os dois se dão bem porque o machão de meia-idade é totalmente o inverso de Eisenberg.

Para ser sincero, todos os cinco personagens estão excelentes. Sim. São cinco.

Bill Murray faz uma curta aparição na trama, mas apesar de curta, o jovem senhor rouba a cena nos seus poucos momentos em ação.

O filme caminha muito bem em seu todo. Começando do slow motion empregado com Rock’n’Roll em sua abertura (e uma bela trilha sonora no restante do longa). Passando por cenários devastados, zumbis bem maquiados, uma boa edição e a incessante busca pelo Twinkie.

Zumbilândia vem com um conceito diferente, usa o humor, prega que dar valor às pequenas coisas (Regra 32) e manter um olhar otimista sobre um mundo devastado é essencial para sobrevivência.

Nota 8.5

Dados Técnicos.

Zumbilândia (Zombieland).

Filme com 1 hora e 28 minutos de duração – 2010.
Direção: Ruben Fleischer
Elenco: Woody Harrelson, Jesse Eisenberg, Abigail Breslin, Emma Stone, Bill Murray…
Nacionalidade: EUA

Sinopse: A população mundial foi dizimada devido a um vírus, variante do mal da vaca louca, que faz com que as pessoas se transformem em zumbis. Poucos são os humanos não infectados, entre eles Columbus (Jesse Eisenberg). Ele é um estudante da Univeridade do Texas, que deseja voltar para sua cidade natal na esperança de encontrar seus pais ainda vivos. Cheio de fobias, o maior medo de Columbus não são os zumbis, mas os palhaços. No caminho ele encontra Tallahassee (Woody Harrelson), que está indo para a Flórida com o objetivo de aniquilar o maior número possível de zumbis. Columbus pega uma carona com ele. Ao parar em uma mercearia, a dupla enfrenta três zumbis e encontra duas garotas, Wichita (Emma Stone) e sua irmã caçula Little Rock (Abigail Breslin). Só que Little Rock aparenta ter sido mordida por um zumbi, o que divide o grupo sobre o que fazer.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×