Opinião com Café | Cidades de Papel

0 Flares 0 Flares ×

Filme de 2015 com 1h49min de duração.

Sinopse: A história é centrada em Quentin Jacobsen (Nat Wolff) e sua enigmática vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman (Cara Delevingne). Ele nutre uma paixão platônica por ela. E não pensa duas vezes quando a menina invade seu quarto propondo que ele participe de um engenhoso plano de vingança. Mas, depois da noite de aventura, Margo desaparece – não sem deixar pistas sobre o seu paradeiro.

Opinião com Café.

Cidade de papel é a definição de um lugar que existe apenas no mapa, mas não na realidade.

Começo avisando que não li o livro de John Green, então não farei com parações, apenas deixarei minha opinião sobre o filme dirigido por Jake Schreier.

Quentin Jacobsen (Nat Wolff) é um garotinho apaixonado pela sua melhor amiga e vizinha, Margo (Cara Delevingne), mas com o passar dos anos cada um vai para um lado, Margo vira a sensação da turma, é invejada pelas mulheres e admirada pelos homens, e Quentin vira aquele famoso nerd medroso.

Mesmo passando todos esses anos ele mantém aquela paixão acesa, em uma bela noite Margo pula a janela de seu quarto para lhe propor um plano de vingança contra seu ex-namorado e algumas amigas que a traíram, tudo que Quentin deveria fazer era ser seu piloto de fuga.

O rapaz refuta no começo, mas logo aceita, então eles partem em uma jornada de “vingança”, no final dessa mini aventura os dois acabam se beijando, Quentin com isso aumenta o seu amor por Margo, que desaparece depois do beijo.

Essa fato deixa o jovem nerd totalmente desesperado, mas com a ideia fixa que ela tinha deixado algumas pistas para que ele a procurasse, então o rapaz sai igual um louco atrás dessas pistas.

O filme demora exatos 29 minutos para desenrolar essa trama de Margo x Quentin, depois disso você vai encontrar um rapaz com 4 amigos atrás de pistas para encontrar a garota desaparecida, e lá se vai mais uma hora de um filme que tem uma boa produção, algumas frases de efeito bacana e um final que para quem não leu o livro, foge do clichê.

Porém não se engane, apenas o final não é clichê, todo o resto é, o filme é longo, a história que o envolve é tola, as atuações são fracas e depois de algumas dias o filme já terá sido esquecido por você.

Se procura algo com profundidade ou um romance que tenha uma história bacana, “Cidades de Papel” não é seu filme, já se você é uma adolescente apaixonada…

Nota 5.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×