Opinião com Café | Jessica Jones

0 Flares 0 Flares ×
Sinopse: Assombrada pelos traumas do passado, Jessica Jones usa seus poderes como detetive particular para encontrar e deter o perverso Kilgrave.

Opinião com Café.
João Victor Trascastro.

Universo Cinematográfico Marvel se mostra grandioso nos
últimos anos, e isso não é novidade pra ninguém. Em suas séries de televisão, a Marvel também não decepciona (talvez em Agents of S.H.I.E.L.D) e a parceria com a Netflix já deu um ótimo resultado: Demolidor.

Meses depois, somos apresentados à Jessica Jones (Krysten Ritter), uma jovem investigadora particular com um passado enquitante, super-poderes e uma personalidade cativante. Jessica tem uma força gigantesca, por quê? Bom, tudo a seu tempo. O que nos pega aqui é Zebediah Kilgrave (David Tennant), o primeiro vilão grandiosamente foda desse universo de “Vingadores, Defensores, Inumanos”, não só por ser independente de tudo o que ocorre nas outras mídias, mesmo sendo o mesmo universo, mas também por realmente olharmos e vermos um vilão. É o primeiro VILÃO que vemos em algo dos estúdios Marvel (que daria muita dor de cabeça pra Homem de Ferro, Capitão e companhia).

A relação entre Jessica e Kilgrave evolui a cada episódio, a cada momento relembrado do passado dos dois juntos, a cada controle mental, a cada morte. O roxo predomina, afinal é o Homem-Púrpura (apesar desse nome não ser mencionado). Jessica tem tudo pra ser fraca, mas é o oposto. Mostra-se forte ao controle mental de Kilgrave, matá-lo não é sua preocupação, nem seu propósito. A atuação de Krysten Ritter surpreende, é o lado totalmente sério.

David Tennant traz o terror e o bom-humor característico de suas atuações. Mike Colter como Luke Cage se encaixa perfeitamente ao papel que virá em sua série solo no próximo ano e torna Jessica Jones uma personagem mais palpável, que erra. Jessica Jones consegue ser melhor que a série do Demolidor, consegue ter uma protagonista feminina mais forte que muitos dos heróis machões dos filmes, consegue ter a personificação do mau mais definida e uma história que não te deixa perdido. Jessica Jones não está entre nós para ser uma super-heroína, Jessica Jones está entre nós para ser heroína apesar de super, para entender que Hell’s Kitchen pode ser pior quando já está ruim. Jessica Jones está entre nós para entendermos que um erro, pode não ser nossa culpa. Que venha Luke Cage! 🙂

Já acabou, Jessica? Se sim, comente. Se não, assista e comente também.

Nota: 10

 

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Henry Braga

Assisto preferencialmente o que não está na moda, gosto de livros, quadrinhos, séries e filmes. Também sei admirar DC e Marvel (sim, é possível), ainda tenho meu Super Nintendo. Seinfeld, Anos Incríveis e Watchmen são algumas de minhas preferências.